24 de maio de 2013

Nota da APP sobre o concurso público realizado no dia 19 de maio...

A direção da APP-Sindicato está acompanhando de perto todo o processo e desdobramentos do concurso público para a contratação de professores e professoras para a rede estadual. Assim, a entidade vem a público demonstrar o seu descontentamento com os problemas de organização e conteúdos das provas, todos sob a responsabilidade da instituição responsável pelo certame.

Inicialmente, queremos ressaltar a importância da realização do concurso público.Esta é uma reivindicação histórica da nossa categoria. Sempre estivemos convictos de que o ingresso na carreira através do concurso incide consideravelmente na qualidade da educação pública. Avançamos na conquista do direito ao concurso público e de carreiras estruturadas, que propiciam a possibilidade de crescimento de acordo com a formação e avaliação de desempenho.

Atualmente, o quadro da Educação no Paraná é composto, em sua maioria, por concursados(as). E isto não veio de graça. Foi necessária muita luta para reverter as terceirizações que nos anos 90, e início dos anos 2000, nos ameaçaram. Para exemplificar, no ano de 2001, o governo enviou um Projeto de Lei para a Assembleia Legislativa que transformava todos os concursados em celetistas. Foi nossa luta, como categoria organizada, que nos ajudou a avançar na realização de concursos públicos e de planos de carreira para professores(as) e funcionários(as).

A realização do concurso público realizado no último domingo (19) faz parte deste processo de luta. Após uma série de mobilizações e negociações nos últimos dois anos, o governo do Paraná se comprometeu em realizar este certame. Os debates acerca deste foram intensos, visto as divergências no método de organização. Entre estas, destaca-se:

a) a) A APP defendeu deste o início que o concurso fosse realizado por uma instituição de ensino superior pública com capacidade para organizar um processo desta envergadura. A decisão do governo do Paraná de optar por uma instituição privada (PUC) mostrou-se, no nosso ponto de vista, equivocada.

b) b) A APP questionou desde o início da negociação as etapas do concurso, como a prova didática e a avaliação psicológica, sendo que esta última foi retirada do processo de seleção.

c) Vimos a público apresentar nossa preocupação com a próxima fase do concurso, que estabelece bancas para as provas práticas, principalmente pelo caráter subjetivo destas. Depois dos problemas ocorridos na primeira fase, nossa preocupação só aumenta.

Diante disso, a direção da APP mantém a sua orientação já postada no site da entidade: de que os(as) professores(as) que se sentiram prejudicados ingressem com recursos na forma prevista nos editais. Ao mesmo tempo, o Departamento Jurídico do sindicato está à disposição para análise de possível ingresso judicial para os professores que comprovadamente tenham tido prejuízo causado pela organização do concurso, como, por exemplo, erro no ensalamento e na identificação de candidatos(as).

A direção da APP continuará acompanhando todo o processo do concurso, para que este se consolide como uma importante conquista para a categoria.

Direção Estadual
APP-Sindicato

Nenhum comentário: